quarta-feira, 21 de setembro de 2011



Antecipo-me a solidão ao imaginar a ausência da concretização de todos eles.
Não há nada que seja forte o bastante para me impedir, mas também não existe claresas nos fatos... 
Estou a jogar os dados para abrirem os meus propios caminhos, afinal não acredito em destino.
Sei a importância de lutar por minhas causas e que abater-me pelos temporais vindos é um motivo muito pequeno.
Não posso me punir tanto, eu só tenho a mim, e é comigo que eu sempre estarei, e até mesmo quando tudo isso acabar quero seguir eternamente lado a lado com uma mulher vitoriosa.